domingo, 29 de março de 2015

Escape Plan




Título em Português: Plano de Fuga
Realizador: Mikael Håfström
Argumento: Miles Chapman
Atores: Sylvester Stallone
Arnold Schwarzenegger
Jim Caviezel
Duração: 115 minutos.
Ano: 2013
Género: Acção
Classificação: M/16



Sinopse: Ray Breslin (Sylvester Stallone) é pago para fugir da prisão. Até agora os resultados são 100% garantidos mas uma nova missão está a caminho. Desta vez, o preço é maior e o risco também. 

Para que conste: eu gosto de filmes de acção e não me importo nadinha em confessá-lo. Ainda assim, não sou propriamente fã do Stallone e muito menos do Schwarzenegger mas tive um bom motivo para ver este filme: Jim Caviezel. E não me enganei nadinha! Jim Caviezel é mau e terrivelmente sexy. Se bem se lembram, no Conde de Monte Cristo ele estava preso e era torturado pelo chefe da prisão. Neste filme, os papeis revertem-se e é ele o torturador (vá, ele não tortura mas manda, o que vai dar ao mesmo). Filho, faz mais filmes como bad boy que a mulherada gosta!

Mas vamos à historia…
Ray Breslin é um homem pago para fugir das prisões em que se mete. Ao que parece, ele recebe vários milhões para estar preso e quando consegue fugir, recebe mais dinheiro para entrar noutra prisão. 

Apos uma fuga bem-sucedida, Breslin é aliciado com uma nova proposta: 5 milhões em troca de fugir da cadeia mais segura do mundo. Se isto parecia tarefa fácil no começo, logo o fugitivo percebe que as coisas não são bem assim. Desta vez terá Hobbes (Jim Caviezel) que fará os possíveis para que ele não consiga escapar e não adianta de nada dizer que ele não é um preso igual aos outros.


Gostei: Jim Caviezel.

Não gostei: O Arnold Schwarzenegger


Pontuação: 7/10

quinta-feira, 26 de março de 2015

Interstellar




Título em Português: Interstellar
Realizador: Christopher Nolan
Argumento: Jonathan Nolan
Atores: Matthew McConaughey
Anne Hathaway
John Lithgow
Duração: 169 minutos.
Ano: 2014
Género: Aventura/Ficção cientifica
Classificação: M/12



Sinopse: O mundo está a sofrer com os efeitos da poluição e cada vez mais pessoas morrem. Numa tentativa de salvar a humanidade, um grupo de astronautas é enviado numa missão para procurar vida noutros planetas.

Matthew McConaughey é Cooper. Hoje em dia é um fazendeiro que vive com os filhos mas um dia já foi um engenheiro científico. Apesar de estar “reformado” da vida da ciência, a forma como o mundo está, causa-lhe preocupação. Em apenas 40 anos a raça humana enfrenta a extinção por causa dos maus hábitos. 

Quando Cooper é escolhido para tentar salvar a humanidade, o preço a pagar pode ser alto demais. Provavelmente nunca mais verá os filhos mas se ficar terá de assistir aos efeitos do aquecimento global.

Esta missão praticamente suicida, será a única maneira de descobrir o que existe por trás de um buraco negro. Dizem que existe um planeta, semelhante ao nosso para onde a população poderá viajar mas tudo complica-se quando a aterragem mostra uma realidade completamente diferente do que estavam à espera.

Gostei: Ora bem… gostei do Matthew McConaughey. 

Não gostei: Tudo corria muito bem até meterem a historia do mundo paralelo no meio…
Achei o filme sobrevalorizado. Tem bons efeitos especiais mas a história não me convenceu.


Pontuação: 7/10

segunda-feira, 23 de março de 2015

The New Daughter




Título em Português: A nova Filha
Realizador: Luiso Berdejo 
Argumento: John Travis 
Atores: Kevin Costner
Ivana Baquero
Samantha Mathis
Gattlin Griffith
Duração: 108 minutos.
Ano: 2009
Género: terror/mistério
Classificação: M/16



Sinopse: John James (Kevin Costner) é um homem recém divorciado que se muda para uma zona rural com os filhos. Coisas estranhas começam a acontecer com a filha e um mistério relacionado com a casa e os antigos habitantes, poderão explicar tudo!

Quando a mãe decide abandonar os filhos e casar com outro, as crianças ficam a cargo do pai. O progenitor não tem muita experiencia com as crianças mas tenta dar o seu melhor. Claro que mudar-se para uma casa no meio do nada, com uma filha adolescente ia dar problema. Não existe muito para fazer e quando a filha encontra um monte de terra, aparentemente inofensivo, decide que ali será o seu lugar de eleição para comtemplar o céu. 

O Kevin Costner é um dos poucos actores que faço um esforço danado para gostar de ver representar. Infelizmente ainda não foi desta. A sua personagem é lenta, desajeitada e demasiado passiva. O pior ainda não é isso. O problema do filme foi que só no final percebemos com o que estamos a lidar. Afinal aquelas criaturas são fantasmas? Et’s? Formigas gigantes? E a filha? está possuída? É tpm? O garoto lá da escola não gosta dela? 

Quando finalmente temos o momento “txaram” já é tarde demais. Tarde, porque todo o suspense é justificado com uma explicação parva e a cereja no topo do bolo é o final. 

Gostei: O filme não é mau de todo para quem gosta de suspense. Tem os seus momentos interessantes… 

Não gostei: Infelizmente os momentos interessantes não superam a chatice que foi assistir a 108 minutos de quase nada. Ainda não foi desta Kevin!


Pontuação: 5/10 (5 porque não perdem nada se não virem este filme)

sexta-feira, 20 de março de 2015

El Orfanato



Título em Português: O Orfanato
Realizador: J.A. Bayona
Argumento: Sergio G. Sánchez
Atores: Belén Rueda
Fernando Cayo
Roger Príncep
Duração: 105 minutos.
Ano: 2007
Género: Drama/Mistério
Classificação: M/12



Sinopse: Laura morou num orfanato em criança. Agora em adulta, casou e tem um filho. Laura decide reabrir o orfanato para crianças doentes mas as coisas complicam-se quando ela apercebe-se que eles não estão sozinhos.

Laura passou alguns anos num orfanato onde as crianças tinham vários problemas de saúde. Anos mais tarde, pensa que a casa tem quartos a mais e seria uma boa ideia usa-los para ajudar crianças com problemas. O próprio filho, Simão, tem uma doença grave e precisa de cuidados. 

Simão, tem os seus amigos imaginários. Normal para a idade, mas a mãe acha que já é tempo de parar com essas coisas. Se antigamente Simão tinha um ou dois amiguinhos imaginários, agora nesta nova casa passou a ter muitos mais.

O pior pesadelo de qualquer pai acontece quando Simão desaparece. Os meses passam e Laura começa a achar que afinal aqueles amigos imaginários podem ser bem reais.

Gostei: Quem acha que este filme é de terror nunca viu um filme de terror a serio. O filme tem bons momentos de suspense mas não chega a ser assustador para fazer alguém dar um pulo valente da cadeira. De qualquer forma, é um filme interessante. 

Não gostei: Do final que nos deixa com uma sensação de tristeza e alegria ao mesmo tempo.


Pontuação: 7/10

segunda-feira, 16 de março de 2015

Exodus: Gods and Kings




Título em Português: Exodus: Deuses e Reis
Realizador: Ridley Scott
Argumento: Adam Cooper
Atores: Christian Bale
Joel Edgerton
Sigourney Weaver
Ben Kingsley
Duração: 150 minutos.
Ano: 2014
Género: Aventura/Drama
Classificação: M/12



Sinopse: Moisés é o homem escolhido por Deus para libertar os escravos do Egipto, massacrados pelo terrível Ramsés.

Quando o faraó morre, o seu filho sucede-lhe e logo Moisés é expulso. Afinal de contas, sangue escravo não tem lugar entre a “realeza”. 

Moisés deambula pelo deserto até encontrar uma tribo. Conhece lá uma moça, casa com ela e tem um filho. Porém, Moisés não é o tipo de homem que contenta-se com uma vida simples e quando decide subir à “montanha de Deus” tem uma experiência que muda a sua vida para sempre. 

Ridley Scott não acredita em Deus e decidiu fazer um filme o mais realista possível sobre a vida de um dos personagens mais marcantes da bíblia: Moisés. O que podemos esperar deste filme?

O Moisés de Ridley Scott é diferente de todos os outros que já viram. Este Moisés é muito mais guerreiro do que seria de esperar. Afinal de contas, ele é uma espécie de irmão adoptivo do filho do faraó e os dois gostavam de entrar numa boa batalha. Ao contrário de Noé, este homem não é subserviente ao ponto de dizer sim a tudo o que Deus lhe manda fazer. Ele tem duvidas e não concorda com tudo o lhe é imposto mas pouco ou nada pode fazer, senão assistir de camarote quando as 7 pragas do Egipto assolam o seu povo. Não temos a famosa cena em que o mar abre-se. Ridley Scott preferiu ir para a versão mais realista possível e fez com que o povo atravessasse o mar quando a maré estava baixa. 



Spoilers

O filme foi provavelmente o maior fracasso do ano quando consegui arrecadar apenas 24 milhões de dólares tendo em conta que custou 140 milhões para ser feito. Não sei a que se deveu esse “huge flop”. Terá sido porque o Deus deste filme foi apresentado como uma criança? O mar não ter-se aberto? O Moisés ser um guerreiro em vez de um simples pastor? Ou será porque o Christian Bale disse que Moisés era um esquizofrénico e bárbaro?


Gostei: De tudo no geral.

Não gostei: Sigourney Weaver estava completamente deslocada no papel mas como só tem umas 2 ou 3 cenas não é grave.

Senti falta do mar abrindo-se para o povo passar…

Pontuação: 8/10

sexta-feira, 13 de março de 2015

The Imitation Game




Título em Português: O Jogo da Imitação
Realizador: Morten Tyldum
Argumento: Andrew Hodges
Atores: Benedict Cumberbatch
Keira Knightley
Matthew Goode
Duração: 114 minutos.
Ano: 2014
Género: Biografia/Drama
Classificação: M/12


Sinopse: O matemático Alan Turing é chamado para prestar serviços ao país. Junto com outros matemáticos, ele terá de decifrar o enigma para poder ganhar a guerra.

Quando li a sinopse sobre o filme pensei logo: isto vai ser terrivelmente monótono. Não sou propriamente fã de filmes bélicos mas como gosto de um bom desafio resolvi arriscar e ver se valia a pena. Felizmente o filme não é tao chato quanto eu esperava e os 114 minutos passam depressa.

Alan Turing é um matemático com cara de poucos amigos. A sua personalidade não permite aproximações e como pensa ser mais inteligente que a maioria, também não faz o menor esforço para fazer novas amizades.

Quando Turing é chamado para decifrar o enigma que porá fim à guerra, depara-se com uma missão praticamente impossível. É assim que decide criar uma máquina para que a tarefa fique mais fácil. Os resultados imediatos não são os melhores e as coisas só se complicam quando o segredo do matemático vier à tona.

Gostei: do filme no geral.

Não gostei: nada em especial


Pontuação: 7.5/10

segunda-feira, 9 de março de 2015

The Theory of Everything




Título em Português: A Teoria de Tudo
Realizador: James Marsh
Argumento: Anthony McCarten
Atores: Eddie Redmayne
Felicity Jones
Duração: 123 minutos.
Ano: 2014
Género: Biografia/Drama
Classificação: M/12



Sinopse: O filme conta a historia do físico mais famoso dos últimos tempos: Stephen Hawking.

Stephen conhece Jane numa festa e os dois simpatizam um com o outro. Stephen é ateu e Jane é religiosa mas os dois conseguem entender-se bem. Quando a doença é detectada, os planos de casamento não são alterados e a jovem esposa faz os possíveis para ajudar o marido. Os filhos aparecem mas Stephen continua demasiado ocupado a fazer valer as suas teorias sobre a criação do universo. 

Gostei: Eddie Redmayne tem um desempenho brilhante. A forma como mexe as mãos, mostra como aplicou-se em desenvolver a sua personagem para ser o mais próxima possível do original. 

Não gostei: Achei que devia ter mais romance. 



Pontuação: 9/10

sexta-feira, 6 de março de 2015

Birdman: Or (The Unexpected Virtue of Ignorance)




Título em Português: Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância).
Realizador: Alejandro G. Iñárritu
Argumento: Alejandro G. Iñárritu
Atores: Michael Keaton
Emma Stone
Naomi Watts
Edward Norton
Duração: 119 minutos.
Ano: 2014
Género: Drama
Classificação: M/14



Sinopse: Riggan é um daqueles actores que ficou preso a um papel para todo o sempre: Birdman. Agora, mais de 20 anos depois, ele está na Broadway tentando recuperar o sucesso outrora. A tarefa não é fácil e ele tem de lidar com diversos problemas, seja na vida familiar como na vida profissional.

Qualquer actor deseja fazer sucesso com a sua personagem. O problema surge quando a carreira não tem outro desempenho tao brilhante como aquele e os holofotes acabam por virar-se em direcção a outra pessoa. Riggan tenta fazer o melhor na Broadway. Afinal, ali só os melhores podem actuar e um fracasso pode ser o final da carreira. Entre a escolha dos actores, o tom adequado e a pressão que existe em ser o melhor, Riggan vê-se a braços com problemas que ameaçam a sua sanidade mental.

Gostei: O realizador Alejandro G. Iñárritu tentou fazer uma peça original. Os takes eram longos e obrigavam os actores a decorar o texto sem falhar. Graças a isso temos cenas que duram em media 9 minutos. 

Não gostei: Achei o filme sobrevalorizado. Sinceramente, um filme sobre actores não é a coisa mais original deste mundo e só vi duas cenas dignas de registo.



Pontuação: 6.5/10

terça-feira, 3 de março de 2015

Fifty Shades of Grey






Título em Português: As Cinquenta Sombras de Grey
Realizador: Sam Taylor-Johnson
Argumento: Kelly Marcel
Atores: Dakota Johnson
Jamie Dornan
Jennifer Ehle
Duração: 125 minutos.
Ano: 2015
Género: Drama/Romance
Classificação: M/16



Christian Grey: I don't make love. I fuck... hard.

Sinopse: A estudante de literatura Anastasia Steele conhece o jovem magnata Christian Grey. A faísca entre os dois acende-se logo no primeiro momento mas a jovem não sabe onde está a meter-se. Por trás do fato impecável e gravata cinzenta, está um homem cujos gostos sexuais poderão não agradar a todas.

Esperei ansiosamente durante dois anos para que este filme fosse exibido. As expectativas eram muitas, apesar de saber que grande parte das cenas de sexo não poderia existir num filme dito “normal”. Mesmo assim, isso não seria empecilho para quem sabe, surgir dali uma boa pelicula. Oh sofrimento atroz durante 125 minutos!

Tecnicamente o filme é interessante. O apartamento do Grey é muito bem conseguido, as cenas de avião e helicóptero foram simpáticas mas… um filme baseado num livro onde existem cenas de sexo explicitas e não ver mais que as mamas da Dakota e o tronco nu do Jamie, são um tremendo balde de agua fria. 

Dakota filha, a Halle Berry fez muito mais que isso no Monster’s Ball e não morreu de vergonha.

Jamie fofo, tronco nu vemos aos montes e até mais interessantes que o teu.


Gostei: Do apartamento do Grey?

Não gostei: Demasiada propaganda para nada


Pontuação: 6/10 (só porque sou generosa)

domingo, 1 de março de 2015

Conan, the Barbarian (2011)




Título em Português: Conan, o Bárbaro
Realizador: Marcus Nispel
Argumento: Thomas Dean Donnelly
Atores: Jason Momoa
Stephen Lang
Rachel Nichols
Ron Perlman
Rose McGowan
Duração: 113 minutos.
Ano: 2011
Género: Acção/aventura
Classificação: M/12



Conan: I live, I love, I slay, and I am content.

Sinopse: Conan vê a sua aldeia assassinada quando um grupo de bárbaros decide reclamar aquelas terras. O jovem Conan não consegue impedir o assassinato do pai e jura que um dia encontrará o responsável por aquele crime.

Aviso desde já que não vi o Conan de 1982 com o Schwarzenegger e por isso não posso fazer uma comparação entre os dois filmes. Sendo assim, vamos falar deste remake.

Conan é um adolescente que vê a sua aldeia devastada pelo terrivel Khalar Zym. Como único sobrevivente, a sua vida resume-se a matar, roubar e piratear. O seu objectivo é encontrar e matar Khalar Zym. Pelo caminho cruza-se com a bela Tamara que está a ser procurada pelo vilão pois o seu sangue é necessário para cumprir um ritual magico.

Conan junta o útil ao agradável e se por um lado tem sede de vingança, por outro tem uma bela mulher que o acompanhará na sua missão. 

Gostei: Jason Momoa é um pedaço de mau caminho e é o meu queridinho do momento! 

Não gostei: O argumento é fraquinho. Não se pode fazer milagres com diálogos destes:
Khalar Zym: [holding up a bag of gold in exchange for Tamara] Your reward!
Conan: I do not want your gold.
Khalar Zym: Then what?
Conan: I want your head!


Pontuação: 6.5 /10