sábado, 18 de abril de 2015

In Secret




Título em Português: Em Segredo
Realizador: Charlie Stratton
Argumento: Charlie Stratton
Atores: Elizabeth Olsen
Oscar Isaac
Tom Felton
Jessica Lange
Duração: 107 minutos.
Ano: 2013
Género: Crime/Drama
Classificação: M/16



Sinopse: Therese é filha de mae desconhecida e o pai entrega-a aos cuidados dos familiares. A tia e o primo têm uma vida simples no campo e a jovem torna-se a empregada, enfermeira e tudo o resto na casa. Quando o primo Camille cresce, apesar de doente, pede a prima em casamento. Ela não tem outra alternativa senão aceitar mas a vida de todos muda quando decidem mudar-se para Paris.

Therese é vista como um ser menor. O pai está longe, a mãe ninguém sabe quem é e ela não é mais que uma simples empregada. Além de fazer a lida domestica, tem de cuidar de noite do primo doente dos pulmões. A vida da jovem não é fácil mas resigna-se ao seu destino. Conforme cresce, torna-se uma bela mulher e com os desejos próprios da idade. 

O primo Camille acha que já é homem e agora manda lá em casa. Agora que sente-se melhor, acha que é boa ideia mudarem-se para paris mas antes precisa pedir a prima em casamento. A jovem aceita (também não tem outra alternativa) e os três mudam-se de malas e bagagens para a capital.

Therese que estava habituada à vida do campo, fica maravilhada com o reboliço da capital e quando conhece Laurent a sua vida muda completamente. É que o amigo de Camille é o oposto do seu marido: forte, saudável e atraente. A atracção entre os dois torna-se cada vez mais forte e esse segredo jamais poderá ser revelado.



Gostei: Elizabeth Olsen tem sido uma surpresa agradável. Obviamente tem mais talento que as duas irmãs gémeas juntas (Mary-Kate e Ashley Olsen), apesar de serem incrivelmente parecidas. De todos os filmes que tenho visto, o seu desempenho é solido e bastante satisfatório. Oscar Isaac que nunca vi mais gordo, também foi uma boa surpresa.

Não gostei: o filme é engraçado até determinada altura. Quando o momento determinante do filme acontece, a história torna-se parva. Foi preciso pensar que isto tudo desenrola-se em 1860 para acreditar que aquele comportamento fazia sentido.


Pontuação: 7/10