quinta-feira, 1 de junho de 2017

Irrational Man






Título em Português: Homem Irracional
Realizador: Woody Allen
Argumento: Woody Allen
Atores: Joaquin Phoenix
Duração: 1h35 minutos.
Ano: 2015
Género: Drama
Classificação: M/12



Sinopse: Um professor de filosofia decide tomar uma atitude que mudará para sempre a sua vida e embora traga-lhe o que ele tanto precisava: um motivo para viver, as consequências poderão ser dramáticas.

Abe Lucas (Joaquin Phoenix) é o novo professor de filosofia da universidade. Os boatos sobre a sua excentricidade espalham-se rapidamente e toda a gente fica curiosa para conhecer esta personagem. Jill (Emma Stone) é uma estudante como outra qualquer e logo começa uma amizade com o filosofo. Como seria de esperar, a jovem apaixona-se pelo professor mas ele está demasiado deprimido para pensar em paixões. 

Um belo dia quando Abe e Jill estão num restaurante, ouvem uma conversa numa mesa ao lado. Uma mulher queixava-se que ia perder a guarda dos filhos porque o juiz não era uma boa pessoa e ela não tinha dinheiro para pagar um bom advogado. É então que Abe tem uma ideia revolucionaria: e se o malvado juiz deixasse de existir? Os problemas desta pobre mulher terminavam e o mundo ficaria em paz com menos um corrupto à face da terra... 

Como não existe crime perfeito, Abe vê que tudo pode dar errado quando Jill não está disposta a guardar silencio para encobrir um crime.

Gostei: Quando vi este filme não sabia que tinha sido realizado pelo Woody Allen e se não fosse pelo final atabalhoado eu ficaria sem saber. 
Phoenix é a estrela do filme mas Stone não está nada mal.

Não gostei: O final… ai o final…

Pontuação: 6.5/10

10 comentários:

  1. Respostas
    1. É bom para quem é fã do realizador!

      Eliminar
  2. Boa tarde, Homem Irracional é um filme que me interessa, quando o realizador é Woody Allen, ainda mais me interessa, gosto do género.
    AG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, AG!
      Woody Allen tem os seus fã fieis que vão adorar este filme apesar de, à primeira vista, não parecer feito por ele. Só no final é que temos a imagem de marca do realizador.

      Eliminar
  3. Eu sei que as pessoas veem poesia e ironia nos filmes de hallen mas eu só de saber que é dele não perco tempo a tentar ver. NADA contra - ao contrário. Mas creio que são movies que se vêm quando se procura esse género de reflexão sobre a humanidade, no ritmo e no género que ele sempre utiliza. NÃO FAZ MUITO O MEU GÈNERO.

    Mas só me prenuncio após ver os filmes. Como não vi, só quero dizer que nem pretendo ver :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha eu também não gosto nada dos filmes do Allen porque essa coisa da profundidade, das lições de filosofia, etc encontramos nos livros e não num filme. Eu gosto de filmes para entreter. Se eu quiser profundidade atiro-me para um poço ahahahah.
      Na altura em que apareceu o Match Point toda a gente dizia-me para ver porque era um bom filme que nem parecia do Allen. Verdade seja dita, gostei (tirando o final). Depois tentei ver os filmes seguintes e lá voltou ele à velha forma de chatear até mais não. Desisti de ver tudo o que ele fez a seguir.

      O problema é que eu vejo um filme, normalmente pelo ator e quando vi este na lista dos filmes que o Phoenix tinha feito, quis logo ver sem prestar atenção ao realizador. Quando reparei no final à bruta do filme pensei: isto lembra-me o match point... foi então que vi lá o nome do Woody Allen na realização. Too late.
      Deixa lá que se não vires este filme, não perdes nada lol
      boa semana.
      Beijos

      Eliminar
    2. Ahaha.
      É um critério :)
      Mas olha que eu já «descartei» Joaquim Phoenix da possibilidade de fazer bons filmes. Não sei porquê mas nos últimos tempos cada vez que o via era.. bah.... Blanc.

      Faz filmes paradões ou loucões, cheios de "profundidade" que por vezes é bem superficial. Anda numa onda de querer interpretar tipos perturbados, solitários, perdidos... Tudo bem. Mas nem por isso boas escolhas de projetos.

      Enfim... tambem não pode ser tudo main-stream hollywood :)

      Eliminar
    3. Ah, e não é que um filme não possa ter lições de vida e profundidade. Claro que pode. Mas uns fazem-no com mestria e subtileza. Por vezes até nem damos por ela até passarem dias e aquilo não nos sair da cabeça... Acho isso sublime.

      Mas outros são tão diretos à coisa que acabam por não representarem a realidade. Nem todos somos filosofos e debatemos ideias como se fossemos.

      Eliminar
    4. Concordo contigo.
      O Phoenix sempre fez filmes em que era o maluco/inadaptado/perturbado mas tendo em conta as personagens até fazia sentido. Depois fez a desgraça que se viu com o cunhadinho Casey Affleck (que tem tanta expressividade como um tijolo) e a carreira foi por agua abaixo. Há uns anos atrás ele podia ser uma grande estrela de hollywood porque fazia boas escolhas mas perdeu-se pelo caminho. A atitude de "não quero ser estrela" levou-o ao fundo e não sei se volta. O mesmo pode-se dizer do Johnny Depp (com uma carreira bem mais versátil que o Phoenix), preso ao Jack Sparrow. Depois dos piratas não fez mais nada de jeito e já estou desiludida com ele. A minha esperança agora vai toda para o Tom Hardy.

      Eliminar