quinta-feira, 15 de outubro de 2015

The Visit




Título em Português: A Visita
Realizador: M. Night Shyamalan
Argumento: M. Night Shyamalan
Atores: Olivia DeJonge
Ed Oxenbould
Deanna Dunagan
Peter McRobbie
Duração: 94 minutos.
Ano: 2015
Género: Terror
Classificação: M/14



Sinopse: Enquanto a mãe vai de férias com o namorado, os filhos vão sozinhos conhecer os avós. Se no começo tudo corre ás mil maravilhas, aos poucos as crianças apercebem-se que coisas estranhas estão a acontecer.

Eu tinha deixado de ver os filmes do M. Night Shyamalan desde “A Senhora da Agua” mas como ouvi tanta gente falar bem desta nova película, lá fiz um sacrifício. A historia é simples: duas crianças vão passar férias à casa dos avós. Detalhe: nunca viram uma foto que fosse dos velhinhos, porque a mãe tinha cortado relação com os pais antes dos filhos terem nascido. 

A pequena Becca quer saber mais sobre os seus antepassados e por isso decide fazer um documentário sobre estas férias com os avós. Junto com o irmão Tyler, as filmagens vão acontecendo a um ritmo normal mas assim que anoitece, coisas estranhas começam a acontecer. Quando a avó é vista com um comportamento estranho, o avô diz que é tudo próprio da idade mas quando ele também é visto em atitudes suspeitas, as crianças começam a desconfiar que aquilo já é demais. Quando os pequenos fazem uma grande descoberta, as suas vidas passam a estar em perigo! 

Gostei: As crianças estiveram bem.

Não gostei: O filme é visto como se os actores principais estivessem a filmá-lo. Esta espécie de “documentário” onde a câmara não pára quieta, irrita-me profundamente.

Apesar de não ser um grande filme, é melhorzinho que o Senhora da Água. Continua assim Shyamalan que um dia chegas lá!


Pontuação: 6/10

6 comentários:

  1. Não conheço nem um nem outro, aliás, cinema, diz-me pouco.
    O filme que aqui descreves, parece-me até razoavelmente interessante.
    Nunca pensaste em ser crítica de cinema?

    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Céu!
      Critica de cinema, eu? Nem pensar. Acho sempre que escrevo mal ahahaha. Além disso, não analiso os filmes de forma técnica (luz, enquadramento, som, efeitos especiais, etc). Para mim o cinema é uma paixão. Gosto de filmes que me façam pensar, que transmitam uma mensagem (seja ela qual for). Basta-me um bom realizador, bons actores e um bom argumento e eu fico feliz ehehehe.
      Beijos

      Eliminar
    2. Ana, os mistérios de Hollywood vão para além da compreensão. Por vezes eles não páram de destacar certos actores em todos os filmes que façam. Mesmo que sejam bostas! (hoje estou com esta palavra ehehe). Mas subitamente param de lhes dar qualquer publicidade. Eles ainda andam aí a fazer filmes, tal como os realizadores. Mas são glorificados por um periodo e renegados ao esquecimento noutro.

      Vê A PONTE DOS ESPIÕES com Tom Hanks. Por que raio nunca tinha ouvido falar desse filme ou visto alguma promoção, não sei. Afinal, é Hanks. E se aquele filme que ele fez como capitão de um navio no oceano foi tão aclamado e publicitado... neste ele é esquecido. Hanks dá das suas melhores interpretações em filmes pouco divulgados. Sugiro porque se gostas de um bom realizador, bom... o filme está bem realizado, tem enquadramentos lindos, está muito bem reconstituído, já que remota à época da guerra fria. Aqueles cenários são credíveis. A melhor interpretação até é capaz de ser a do comunista que a personagem de hanks é designada a defender em tribunal. Muito bom. E faz pensar.

      Eliminar
  2. Que horror... se eu já tinha medo de avós agora fiquei em pânico kkkkk

    ResponderEliminar
  3. Meu deus... este filme é uma bosta do início ao fim.
    Acho que não se safa nada. A predictabilidade é tremenda. Não leva nem um minuto, assim que a mãe menciona que não vê os pais desde sempre e já se sabe que as crianças não conhecem os avós, logo aí já estava tudo escancarado. Previsível demais! Até pelos mau texto e as más interpretações. As crianças estiveram pavorosas. O rapaz era tão irritante com aquela mania que era artista e sabia fazer rap. Sem aptência alguma sequer para narrar com interesse os seus monólogos. Não são credíveis, as personagens. O filme é uma bosta mal feita. Um desperdício. Daria uma avaliação de 1 estrela entre 10. E só leva uma porque já dei zero a um outro filme que acho mais pecaminoso que este, embora nem saiba explicar como isso possa ser possível, já que nenhum tem uma pontinha por onde lhe pegar.

    ResponderEliminar
  4. Meu deus... este filme é uma bosta do início ao fim.
    Acho que não se safa nada. A predictabilidade é tremenda. Não leva nem um minuto, assim que a mãe menciona que não vê os pais desde sempre e já se sabe que as crianças não conhecem os avós, logo aí já estava tudo escancarado. Previsível demais! Até pelos mau texto e as más interpretações. As crianças estiveram pavorosas. O rapaz era tão irritante com aquela mania que era artista e sabia fazer rap. Sem aptência alguma sequer para narrar com interesse os seus monólogos. Não são credíveis, as personagens. O filme é uma bosta mal feita. Um desperdício. Daria uma avaliação de 1 estrela entre 10. E só leva uma porque já dei zero a um outro filme que acho mais pecaminoso que este, embora nem saiba explicar como isso possa ser possível, já que nenhum tem uma pontinha por onde lhe pegar.

    ResponderEliminar